Exames
Exames

Nome ou indicação do exame:
MACONHA - CANABINÓIDES - THC
Nome do exame: MACONHA - CANABINÓIDES - THC
Indicação Médica do Exame: Uso: detecção de drogas de abuso.
Preparo do Paciente Coletar urina amostra isolada
Tipos de amostra urina
Significado Clínico Uso: detecção de drogas de abuso.
Valor de Referência Negativo : < 50,0 ng/mL
MACROPROLACTINA
Nome do exame: MACROPROLACTINA
Indicação Médica do Exame: Uso: A pesquisa de macroprolactina é importante em todos os casos em que níveis elevados de prolactina forem encontrados, especialmente nos pacientes oligo ou assintomáticos. Assim, procedimentos propedêuticos de alto custo e risco para o paciente podem ser evitados. A prolactina é um hormônio bastante heterogêneo e, do ponto de vista de peso molecular, existem três formas principais em circulação: monômero de 23kDa, dímero (big prolactin) de 45kDa e macroprolactina (big-big prolactin) de peso molecular acima de 150kDa. Em condições normais ou em pacientes com hiperprolactinemia sintomática, predomina em circulação a forma monomérica. A macroprolactina é constituída, na maioria dos casos, por uma associação entre uma molécula de prolactina e uma de IgG, o que leva a uma meia-vida mais longa e atividade biológica menor.
Preparo do Paciente Jejum não necessário. Colher de preferência com paciente em repouso
Tipos de amostra soro
Significado Clínico A pesquisa da macroprolactina é feita por método de precipitação com polietilenoglicol (PEG) e estudo da recuperação após a precipitação. Se a recuperação pós precipitação é inferior a 30%, considera-se que há predominância de formas de alto PM (macroprolactina). Se a recuperação é superior a 65%, predominam as formas monoméricas. Nos casos de recuperação intermediária, é necessário utilizar a cromatografia do soro em coluna de filtração para caracterização mais apurada. Interferentes: bloqueadores do receptor de dopamina, antidepressivos, drogas para tratamento de hiperprolactinemia e neurolépticos. Bibliografia: GLEZER, Andrea, D'ALVA, Catarina Brasil, BRONSTEIN, Marcello Delano et al. Macroprolactina e incidentaloma hipofisário. Arq Bras Endocrinol Metab, Mar./Apr. 2001, vol.45, no.2, p.190-198. VIEIRA, José Gilberto H. Macroprolactinemia. Arq Bras Endocrinol Metab, Feb. 2002, vol.46, no.1, p.45-50
Valor de Referência Maior que 60% :Ausência de macroprolactina
MAGNÉSIO
Nome do exame: MAGNÉSIO
Indicação Médica do Exame: Uso: avaliação de distúrbios hidro-eletrolíticos. O magnésio é um importante íon ativador, participando da função de várias enzimas envolvidas nas reações de transferência de fosfato, exercendo efeitos fisiológicos no sistema nervoso (atua diretamente na junção mioneural). Cerca de 50% do magnésio corpóreo total encontra-se no estado insolúvel no osso. Apenas 5% estão presentes como cátions extracelulares; os restantes 45% estão contidos nas células, como cátions intracelulares. A concentração plasmática normal é de 1,5 a 2,5 mEq/L, com cerca de um terço ligado à proteína e dois terços existindo como cátion livre. A excreção do íon magnésio ocorre via renal. A presença de concentrações alteradas de magnésio no plasma provoca alterações associadas com o cálcio. A hipermagnesemia suprime a secreção do PTH, com conseqüente hipocalcemia. A depleção severa e prolongada de magnésio prejudica a secreção de PTH resultando em hipocalcemia. A hipomagnesemia também pode alterar a resposta ao PTH no órgão alvo.
Preparo do Paciente Jejum de 8 horas. A amostra é estável se ficar sob refrigeração. Devem ser suspensos medicamentos a base de vitamina D, progesterona, aspirina, lítio, salbutamol, aldosterona, anfotericina B, diuréticos, glucagon, insulina.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Valores aumentados: terapia diurética, hiperaldosteronismo, hiperparatireoidismo, hipertireoidismo, síndrome de Bartter, hipercalcemia, transplante de rim. Valores diminuídos: diarréia crônica, desvio do intestino delgado, abuso de laxantes, desnutrição, alcoolismo. Interferentes: aminoglicosídeos +, anfotericina B +.
Valor de Referência 1,58 a 2,55 mg/dL
MAGNÉSIO URINÁRIO - 24h
Nome do exame: MAGNÉSIO URINÁRIO - 24h
Indicação Médica do Exame: Ver Magnésio.
Preparo do Paciente Coletar urina de 24h. Usar como conservante HCl 50% 20mL/L de urina
Tipos de amostra urina 24 horas
Significado Clínico Ver Magnésio.
Valor de Referência 24,0 a 255,0 mg/24h
MALÁRIA - Anticorpos (IgG,IgM,IgA)
Nome do exame: MALÁRIA - Anticorpos (IgG,IgM,IgA)
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Coletar soro
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Ver HEMATOZOÁRIOS - Pesquisa
Valor de Referência Não Reagente
MALONILALDEÍDO
Nome do exame: MALONILALDEÍDO
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Jejum não obrigatório. Coletar sangue total com Heparina, centrifugar e separar o plasma .
Tipos de amostra Plasma heparinizado
Significado Clínico Uso: avaliação do dano causado por este radical livre. O malonilaldeído (MDA) atua lesando membranas celulares, como produto da lipoperoxidação.
Valor de Referência Uso: avaliação do dano causado por este radical livre. O malonilaldeído (MDA) atua lesando membranas celulares, como produto da lipoperoxidação.
MANGANÊS SANGUÍNEO
Nome do exame: MANGANÊS SANGUÍNEO
Indicação Médica do Exame: Uso: avaliação da toxicidade ao manganês. A toxicidade pelo manganês ocorre com mineiros, trabalhadores de fundição, soldadores, cerâmica, verniz. Valores aumentados: hepatite aguda, infarto do miocárdio.
Preparo do Paciente Coletar 5,0 mL de sangue com heparina..
Tipos de amostra sangue total c/ Heparina
Significado Clínico Valores diminuídos: fenilcetonúria, malformação óssea (alguns pacientes). A deficiência de manganês não é uma ocorrência comum, pois as fontes alimentares prevêem uma provisão adequada deste elemento essencial.
Valor de Referência até 10,00 ug/L
MANGANÊS SÉRICO
Nome do exame: MANGANÊS SÉRICO
Indicação Médica do Exame: Uso: avaliação da toxicidade ao manganês. A toxicidade pelo manganês ocorre com mineiros, trabalhadores de fundição, soldadores, cerâmica, verniz. Valores aumentados: hepatite aguda, infarto do miocárdio. Valores diminuídos: fenilcetonúria, malformação óssea (alguns pacientes).
Preparo do Paciente Coletar 2,0 mL de soro.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico A deficiência de manganês não é uma ocorrência comum, pois as fontes alimentares prevêem uma provisão adequada deste elemento essencial.
Valor de Referência Pacientes não expostos : até 3,3 ug/L
MANGANÊS URINÁRIO
Nome do exame: MANGANÊS URINÁRIO
Indicação Médica do Exame: Uso: avaliação da toxicidade ao manganês. A toxicidade pelo manganês ocorre com mineiros, trabalhadores de fundição, soldadores, cerâmica, verniz. Valores aumentados: hepatite aguda, infarto do miocárdio. Valores diminuídos: fenilcetonúria, malformação óssea (alguns pacientes).
Preparo do Paciente Coletar 50,0 mL de urina em frasco estéril.
Tipos de amostra urina do final da jornada de trabalho
Significado Clínico A deficiência de manganês não é uma ocorrência comum, pois as fontes alimentares prevêem uma provisão adequada deste elemento essencial
Valor de Referência IBMP*: até 10,00 ug/L.
MERCÚRIO SANGÜÍNEO
Nome do exame: MERCÚRIO SANGÜÍNEO
Indicação Médica do Exame: Uso: avaliação da intoxicação por mercúrio. A intoxicação por mercúrio é capaz de causar ansiedade, tremores, lesões neurológicas, cegueira, surdez, doenças gastrointestinais (vômitos, diarréias, perda de peso), doenças renais, coma e até morte.
Preparo do Paciente Jejum não obrigatório. Colher na primeira hora da manhã antes do horário de trabalho.
Tipos de amostra sangue total Heparinizado
Significado Clínico A inalação representa a principal via de absorção nas exposições ocupacionais. No Brasil, é comum a intoxicação nos garimpos de ouro.
Valor de Referência Até : 10,0 ug/L
MERCÚRIO URINÁRIO
Nome do exame: MERCÚRIO URINÁRIO
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Coletar a primeira urina da manhã (Pré) e após jornada de trabalho(Pós).
Tipos de amostra urina do final da jornada de trabalho
Significado Clínico .
Valor de Referência VR*: até 5,0 ug/g de creatinina.
METABÓLITOS DE ÁCIDO SIÁLICO, urina
Nome do exame: METABÓLITOS DE ÁCIDO SIÁLICO, urina
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Urina : Coletar 50,0 mL, congelar e enviar em frasco estéril.
Tipos de amostra urina
Significado Clínico .
Valor de Referência A PHP Error was encountered
METABÓLITOS DE ÁCIDOS ORGÂNICOS, urina
Nome do exame: METABÓLITOS DE ÁCIDOS ORGÂNICOS, urina
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Urina : Coletar 50,0 mL, congelar e enviar em frasco estéril.
Tipos de amostra urina
Significado Clínico .
Valor de Referência A PHP Error was encountered
METABÓLITOS DE GLICOSAMINOGLICANOS, urina
Nome do exame: METABÓLITOS DE GLICOSAMINOGLICANOS, urina
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Urina : Coletar 50,0 mL, congelar e enviar em frasco estéril.
Tipos de amostra urina
Significado Clínico .
Valor de Referência Até 06 Meses: 133 - 460 ug/mg Creatinina
METABÓLITOS DE SUCCINILACETONA, plasma
Nome do exame: METABÓLITOS DE SUCCINILACETONA, plasma
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Sangue : Coletar 5,0 mL de Sangue com HEPARINA, separar o plasma, congelar e enviar
Tipos de amostra Plasma heparinizado
Significado Clínico .
Valor de Referência Até 2,00 umol SA/L Plasma
METAHEMOGLOBINA - MHB
Nome do exame: METAHEMOGLOBINA - MHB
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente após a coleta manter a amostra protegida da luz e enviá-la imediatamente ao laboratório refrigerada. NÃO CONGELAR A AMOSTRA. A amostra tem estabilidade de 5 dias.
Tipos de amostra sangue total com EDTA
Significado Clínico Uso: avaliação da toxicidade por nitrito; avaliação de pacientes com cianose; auxílio ao diagnóstico de policitemia vera
Valor de Referência VR*: até 2% da hemoglobina total.
METANEFRINAS TOTAIS E FRAÇÕES
Nome do exame: METANEFRINAS TOTAIS E FRAÇÕES
Indicação Médica do Exame: Uso: diagnóstico e avaliação de feocromocitoma; diagnóstico de tumores produtores de catecolaminas; diagnóstico de hipotensão postural. As catecolaminas são sintetizadas nas células cromafins do sistema nervoso simpático (epinefrina pela medula adrenal e norepinefrina e dopamina pela medula adrenal e neurônios simpáticos pós-ganglionares). Circulam no plasma em formas livres e ligadas a proteínas (albumina, globulinas e lipoproteínas). As catecolaminas plasmáticas exibem considerável grau de variabilidade fisiológica (stress, por exemplo). Conseqüentemente, as amostras devem ser obtidas de pacientes em posição supina e algum tempo após a venipuntura. As dosagens plasmáticas podem ser realizadas após estimulação. Em pacientes com hipertensão paroxística, a sensibilidade do teste pode ser aumentada iniciando a coleta após o episódio. O padrão de catecolaminas difere segundo a forma de tumor: feocromocitomas geralmente produzem norepinefrina e epinefrina; paragangliomas secretam norepinefrina e neuroblastomas também produzem dopamina. As metanefrinas urinárias são consideradas o melhor teste de triagem para feocromocitoma.
Preparo do Paciente Urina 24h deve ser colhida com ácido clorídrico 25% ( 20 mL p/1000 mL de urina). Evitar a ingestão de cafeína antes e durante a coleta. Medicamentos que podem interferir: fenotiazídicos, beta bloqueadores, inibidores da MAO, diuréticos. Enviar alíquota de no mínimo 30,0 mL
Tipos de amostra urina 24 horas
Significado Clínico Os níveis de catecolaminas e metanefrinas podem ser interpretados em relação à concentração de creatinina da amostra. As catecolaminas são excretadas na urina na forma intacta ou como metabólitos (metanefrinas e ácido vanilmandélico). Valores aumentados: feocromocitoma, ganglioneuromas, neuroblastomas, stress severo, hipoglicemia, certos medicamentos (metildopa, isoproterenol, nitratos, minoxidil, hidralazina), tabagismo, consumo de café. Valores diminuídos: hipotensão postural, síndrome Shy-Drager e disautonomia familiar.
Valor de Referência Metanefrina Totais : < 1000,0 ug/24h
METANEFRINAS URINÁRIAS
Nome do exame: METANEFRINAS URINÁRIAS
Indicação Médica do Exame: Uso: diagnóstico e avaliação de feocromocitoma; diagnóstico de tumores produtores de catecolaminas; diagnóstico de hipotensão postural. As catecolaminas são sintetizadas nas células cromafins do sistema nervoso simpático (epinefrina pela medula adrenal e norepinefrina e dopamina pela medula adrenal e neurônios simpáticos pós-ganglionares). Circulam no plasma em formas livres e ligadas a proteínas (albumina, globulinas e lipoproteínas). As catecolaminas plasmáticas exibem considerável grau de variabilidade fisiológica (stress, por exemplo). Conseqüentemente, as amostras devem ser obtidas de pacientes em posição supina e algum tempo após a venipuntura. As dosagens plasmáticas podem ser realizadas após estimulação. Em pacientes com hipertensão paroxística, a sensibilidade do teste pode ser aumentada iniciando a coleta após o episódio. O padrão de catecolaminas difere segundo a forma de tumor: feocromocitomas geralmente produzem norepinefrina e epinefrina; paragangliomas secretam norepinefrina e neuroblastomas também produzem dopamina.
Preparo do Paciente Para a determinação de metanefrinas, a amostra deve ser coletada em frasco limpo contendo 10 mL de uma solução de HCl à 25%. Amostras coletadas com ácido e mantidas refrigeradas a 2-8°C são estáveis por até 5 dias. Amostras coletadas com ácido e mantidas congeladas a -20°C são estáveis por até 2 meses. Todas as amostras com solicitações para esses exames terão seu pH conferido pelo laboratório. Caso o pH da amostra seja superior a 4, a amostra será analisada sob restrição devido a possível ausência do conservante. Uma observação será colocada no laudo. Evitar a ingestão de cafeína antes e durante a coleta. Medicamentos que podem interferir: fenotiazídicos, beta bloqueadores, inibidores da MAO, diuréticos.
Tipos de amostra urina 24 horas
Significado Clínico As metanefrinas urinárias são consideradas o melhor teste de triagem para feocromocitoma. Os níveis de catecolaminas e metanefrinas podem ser interpretados em relação à concentração de creatinina da amostra. As catecolaminas são excretadas na urina na forma intacta ou como metabólitos (metanefrinas e ácido vanilmandélico). Valores aumentados: feocromocitoma, ganglioneuromas, neuroblastomas, stress severo, hipoglicemia, certos medicamentos (metildopa, isoproterenol, nitratos, minoxidil, hidralazina), tabagismo, consumo de café. Valores diminuídos: hipotensão postural, síndrome Shy-Drager e disautonomia familiar.
Valor de Referência Inferior a 1,0 mg/24h
METANOL URINÁRIO
Nome do exame: METANOL URINÁRIO
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Coletar urina de final de jornada de trabalho ou aleatória em frasco de coleta de urina limpo e sem aditivo. Após a coleta manter o frasco bem fechado e refrigerado. Enviar a amostra congelada para o laboratório.
Tipos de amostra urina do final da jornada de trabalho
Significado Clínico Uso: avaliação da intoxicação por metanol (através de combustíveis, solventes, tintas, resinas, corantes, etc.). Este álcool, muito mais tóxico que o etanol, é convertido a formaldeído e ácido fórmico, causando danos à retina (levando à cegueira), além de causar acidose metabólica
Valor de Referência VR*: até 5,0 mg/L.
METIL ETIL CETONA
Nome do exame: METIL ETIL CETONA
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Coletar urina de final de jornada de trabalho ou aleatória em frasco de coleta de urina limpo e sem aditivo. Após a coleta manter o frasco bem fechado e refrigerado. Enviar a amostra congelada para o laboratório. Para a determinação em plasma ou sangue total, coletar a amostra em tubo contendo fluoreto/oxalato e enviar a amostra refrigerada ao laboratório
Tipos de amostra urina do final da jornada de trabalho
Significado Clínico Uso: indicador de avaliação das exposições ocupacionais. A principal ação da metil etil cetona no organismo é a depressão do sistema nervoso central, produzindo narcose
Valor de Referência Não definido
METILENOTETRAIDROFOLATO REDUTASE, Mutação C677T
Nome do exame: METILENOTETRAIDROFOLATO REDUTASE, Mutação C677T
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Coletar 2 tubos de sangue total com EDTA. Enviar em temperatura ambiente.
Tipos de amostra sangue total com EDTA
Significado Clínico .
Valor de Referência Ausência da mutação: Homozigoto normal.
METOTREXATE
Nome do exame: METOTREXATE
Indicação Médica do Exame: Acompanhar pacientes em uso de metotrexate (antineoplásico).
Preparo do Paciente Coletar soro no horário estabelecido pelo médico.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico .
Valor de Referência Protocolo BFM 95
MICOLÓGICO - Cultura
Nome do exame: MICOLÓGICO - Cultura
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Depende do material. Raspado de pele, unha, cabelo, secreções. Enviar em franco estéril
Tipos de amostra diversos
Significado Clínico Uso: diagnóstico das micoses
Valor de Referência Cultura negativa
MICOLÓGICO - Pesquisa
Nome do exame: MICOLÓGICO - Pesquisa
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Depende do material. Raspado de pele, unha, cabelo, secreções. Enviar em franco estéril.
Tipos de amostra diversos
Significado Clínico Uso: diagnóstico das micoses.
Valor de Referência Negativa
MICROALBUMINÚRIA - 12h
Nome do exame: MICROALBUMINÚRIA - 12h
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Volume colhido em 12 horas. Enviar uma aliquota de 20,0 mL com a informação do volume urinário. Não há necessidade de conservante. Exercícios físicos podem aumentar a excreção de albumina.
Tipos de amostra urina 12 horas
Significado Clínico Ver Microalbuminúria
Valor de Referência Normal: < 15,0 mg/12h
MICROALBUMINÚRIA - 24h
Nome do exame: MICROALBUMINÚRIA - 24h
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Volume colhido em 24 horas. Enviar uma alíquota de 20,0 mL junto com a informação do volume urinário. Não há necessidade de conservante. Exercícios físicos podem aumentar a excreção de albumina.
Tipos de amostra urina 24 horas
Significado Clínico Ver Microalbuminúria.
Valor de Referência Normal : < 25,0 mg/24h
MICROALBUMINÚRIA - 6h
Nome do exame: MICROALBUMINÚRIA - 6h
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Volume colhido em 6 horas. Enviar uma aliquota de 20,0 mL junto com a informação do volume total. Não há necessidade de conservante. Exercícios físicos podem aumentar a excreção de albumina.
Tipos de amostra urina 6 horas
Significado Clínico Ver Microalbuminúria.
Valor de Referência Normal: < 15,0 mg/6h
MICROALBUMINÚRIA - Amostra isolada
Nome do exame: MICROALBUMINÚRIA - Amostra isolada
Indicação Médica do Exame: Uso: acompanhamento de diabetes mellitus. Considera-se a presença de microalbuminúria quando a excreção urinária é maior que 30 mg/24 horas; níveis maiores que 300 mg/24 horas indicam a presença de macroalbuminúria. A presença de microalbuminúria em diabéticos indica comprometimento renal; quando os níveis forem menores que 300 mg/24 horas é possível reverter ou retardar o prognóstico do dano renal.
Preparo do Paciente Coletar amostra isolada. Exercícios físicos podem aumentar a excreção de albumina.
Tipos de amostra urina - amostra isolada
Significado Clínico Grandes volumes urinários em pacientes diabéticos podem causar resultados falsamente negativos. Nestes casos é aconselhável dosar os níveis de microalbumina, em amostras coletadas pela manhã, repetindo a análise com intervalo de 2 semanas.
Valor de Referência Normal: < 26,0 mg/g de creatinina
MICROSPORIDEOS - Pesquisa
Nome do exame: MICROSPORIDEOS - Pesquisa
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Fezes recente,raspado de cornea, escarro e outros
Tipos de amostra Raspado de cornea
Significado Clínico .
Valor de Referência Negativa
MIELOPEROXIDADE - Anticorpos
Nome do exame: MIELOPEROXIDADE - Anticorpos
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Coletar soro.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico .
Valor de Referência Não reagente : Inferior a 0,9
MIOCÁRDIO - Anticorpos anti
Nome do exame: MIOCÁRDIO - Anticorpos anti
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Coletar soro.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Valores aumentados: síndrome de Dressler, cardiomegalias, hipertensão sistêmica (associada a imunopatia autoimune), febre reumática aguda.
Valor de Referência Negativo : < 1/5
MIOGLOBINA
Nome do exame: MIOGLOBINA
Indicação Médica do Exame: Uso: diagnóstico de infarto do miocárdio. A mioglobina é uma proteína monomérica do grupo heme, consistindo em um polipeptídio esferóide que contém 153 aminoácidos. A mioglobina é estruturalmente relacionada à hemoglobina. Durante o curso de um infarto do miocárdio, a mioglobina é liberada do músculo esquelético cardíaco, podendo alcançar níveis 5-10 vezes maiores que o normal, durante as primeiras 5-18 horas.
Preparo do Paciente Jejum não necessário.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Correlaciona-se bem com as elevações da creatina quinase, retornando a valores normais após 24 horas. Valores aumentados: após traumas, injeções intramusculares, miopatias, uremias, insuficiência renal. Valores diminuídos: polimiosite, artrite reumatóide, miastenia gravis. Interferentes: lovastatina.
Valor de Referência 21,0 a 72,0 ng/mL
MIOGLOBINA URINÁRIA
Nome do exame: MIOGLOBINA URINÁRIA
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Coletar urina amostra isolada. Se o exame não for realizado no momento, ajustar pH para 7.0 e congelar à amostra. Vitamina C e azida sódica podem interferir no resultado.
Tipos de amostra urina - amostra isolada
Significado Clínico Uso: diagnóstico de miopatias. Ver Mioglobina
Valor de Referência Negativo : ausência de mioglobina
MONONUCLEOSE - Anticorpos heterófilos
Nome do exame: MONONUCLEOSE - Anticorpos heterófilos
Indicação Médica do Exame: Uso: diagnóstico da mononucleose infecciosa; pesquisa de anticorpos heterófilos. Os anticorpos heterófilos reagem com antígenos de superfície de eritrócitos de carneiro e cavalo, mas não com antígenos de células renais de cobaia. Estes anticorpos estão presentes em cerca de 90% dos pacientes com mononucleose infecciosa (MI), durante algum momento da evolução da doença. Os títulos de anticorpos heterófilos diminuem após a fase aguda da mononucleose infecciosa, podendo ser detectados até 9 meses após o início da doença.
Preparo do Paciente Jejum não obrigatório. Coletar soro
Tipos de amostra soro
Significado Clínico A presença de anticorpos heterófilos em crianças pode dar resultados falso negativos em até 40% dos casos (em adultos até 10%). Por esta razão o uso da pesquisa de anticorpos específicos passa a ser rotina no diagnóstico laboratorial de MI. A confirmação do diagnóstico é feita com a pesquisa de anticorpos específicos da classe IgM contra o antígeno do vírus capsídeo (VCA). Estes anticorpos são detectados 1 a 2 semanas após a infecção
Valor de Referência Não reagente : ausência de anticorpos
MYCOBACTERIUM TUBERCULOSIS - Anticorpos IgG
Nome do exame: MYCOBACTERIUM TUBERCULOSIS - Anticorpos IgG
Indicação Médica do Exame: Uso: diagnóstico de tuberculose. Ver Mycobacterium tuberculosis - Detecção por PCR.
Preparo do Paciente Jejum não obrigatório. Coletar soro. Pode ser feito no LCR.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico .
Valor de Referência Não reagente
MYCOBACTERIUM TUBERCULOSIS - Detecção por PCR
Nome do exame: MYCOBACTERIUM TUBERCULOSIS - Detecção por PCR
Indicação Médica do Exame: Uso: diagnóstico de infecções por Mycobacterium tuberculosis. A pesquisa direta de bacilos álcool ácido resistentes em escarro, pela coloração de Ziehl-Neelsen, é positiva em torno de 50-80%. Esta baixa sensibilidade não elimina a possibilidade de existir uma infecção por Mycobacterium.
Preparo do Paciente Coletar 5,0 mL de sangue com EDTA. Coletar 20,0 mL de urina. Coletar 2 a 5 mL de escarro, lavado bronquico, alveolar ,lavado traqueal ou LCR em frascos estéreis.
Tipos de amostra diversos
Significado Clínico A pesquisa por métodos moleculares dá uma maior segurança nos resultados, aumentando a sensibilidade (95 -100%) e a especificidade, além de um resultado mais rápido. Interpretação: a PCR para Mycobacterium tuberculosis possui uma sensibilidade maior do que a baciloscopia direta, fornecendo o resultado em um tempo muito menor do que a cultura de micobactérias. Além disso, em algumas situações e em alguns materiais, o isolamento da micobactéria é extremamente difícil, de forma que a PCR se apresenta como uma opção de teste com boa sensibilidade, como é o caso do LCR.
Valor de Referência Não Detectado
MYCOPLASMA PNEUMONIAE - Anticorpos
Nome do exame: MYCOPLASMA PNEUMONIAE - Anticorpos
Indicação Médica do Exame: Uso: diagnóstico de pneumonia (infecções do trato respiratório). A incidência precisa da infecção por M. pneumoniae é desconhecida, porque habitualmente não é pesquisado o agente etiológico das infecções respiratórias. Estudos prospectivos sugerem que o M. pneumoniae é responsável por 15 a 20% das doenças respiratórias em adultos, sendo causa comum de pneumonia em crianças na idade escolar. A presença de anticorpos da classe IgM ocorre 7 a 14 dias após os primeiros sintomas, sugerindo infecção aguda (podendo persistir em baixos níveis até 12 meses após a infecção). Anticorpos IgG positivo e IgM negativo indicam exposição prévia.
Preparo do Paciente Coletar em tubo sem anticoagulante, separar o soro e refrigerar. Pode ser feito em LCR
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Para descartar IgM residual (quando os níveis de IgM são baixos), sugere-se repetir a análise após uma ou duas semanas. Crioaglutininas podem estar presentes na fase aguda em 30 a 60% dos pacientes; no entanto, este achado é inespecífico, pois isoladamente não é útil para o diagnóstico. A presença de Mycoplasma pneumoniae deve ser considerada em pacientes com infecção respiratória aguda, associada ao insucesso terapêutico com o uso de antibióticos beta lactâmicos.
Valor de Referência IgG


Primeira     Última