Exames
Exames

Nome ou indicação do exame:
T3 - TRIIODOTIRONINA
Nome do exame: T3 - TRIIODOTIRONINA
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Jejum não necessário
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Uso: diagnóstico do hipotireoidismo e hipertireoidismo. A triiodotironina (T3) é formada a partir do T4 nos tecidos periféricos (aproximadamente 80%), sendo também sintetizada (20%) pelas células foliculares da glândula tireóide. Interferentes: preservativos orais +, estrógenos +, andrógenos -, prednisona -, dexametasona -, corticóides -, deficiência de iodo -.
Valor de Referência Cordão umbilical : 15,0 a 100,0 ng/dL
T3 - TRIIODOTIRONINA LIVRE
Nome do exame: T3 - TRIIODOTIRONINA LIVRE
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Jejum não necessário
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Uso: diagnóstico do hipotireoidismo e hipertireoidismo. Aproximadamente 0,5% do T3 circula na forma livre (não ligada às proteínas), sendo considerado a fração biologicamente ativa
Valor de Referência 2,00 a 4,40 pg/mL
T3 - TRIIODOTIRONINA RETENÇÃO
Nome do exame: T3 - TRIIODOTIRONINA RETENÇÃO
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Jejum não obrigatório
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Uso: diagnóstico de hipotireoidismo e hipertireoidismo. Interferentes: salicilatos +, fenitoína +, fenilbarbitúricos +.
Valor de Referência 24 a 35 %
T3 - TRIIODOTIRONINA REVERSO
Nome do exame: T3 - TRIIODOTIRONINA REVERSO
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Jejum de 4 horas. Coletar soro.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Uso: Formado, em sua grande maioria, em uma pequena parcela tiróide e na maioria parte pela metabolização periférica do T4, não apresentando função biológica conhecida. Sua determinação está indicada em pacientes com doença grave sistemica, onde o T3 e T4 estão diminuídos e o T3 Reverso está aumentado.
Valor de Referência 8,0 a 40,0 ng/dL
T4 - TIROXINA
Nome do exame: T4 - TIROXINA
Indicação Médica do Exame: Uso: diagnóstico do hipertireoidismo e hipotireoidismo. A tiroxina (T4) é produzida exclusivamente pela tireóide, circulando ligada a proteínas carreadoras (TBG - Thyroid binding globulin 75%, TGPA 15% e albumina 10%). A medida de T4 total é um procedimento comum para avaliar o estado da tiróide de um paciente. Na atualidade, a dosagem de T4 total está sendo praticamente substituída pela dosagem dos níveis de T4 livre. Valores aumentados: hipertireoidismo.
Preparo do Paciente Jejum não necessário.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Valores diminuídos: hipotireoidismo. Diversas outras condições fisiológicas e patológicas não associadas diretamente à função tireoidiana podem interferir diretamente na dosagem de T4: insuficiência renal, cirrose, hepatites, câncer, infecção, inflamação severa, doenças psiquiátricas. Interferentes: amiodarona +, anfetaminas +, heroína +, levodopa +, metadona +, propanolol +, tireotrofina +, TRH +, aminosalicílico -, androgênicos -, anticonvulsivantes -, corticosteróides -, aspirina -, etionamida -, furosemida -, lítio -, penicilina -, fenilbutazona -, propiltiuracil -, reserpina -, butazona -, rifampicina -, sulfonamidas -, triiodotironina -.
Valor de Referência cordão umbilical : 6,0 a 15,0 ug/dL
T4 - TIROXINA LIVRE
Nome do exame: T4 - TIROXINA LIVRE
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Jejum não necessário.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Uso: diagnóstico do hipertireoidismo e hipotireoidismo. O T4 livre corresponde a 0,02-0,04% do T4 total, estando precocemente elevado nas fases iniciais do hipertireoidismo, quando os níveis de T4 e T3 totais estão ainda dentro dos limites de normalidade. Valores aumentados: hipertireoidismo. Valores diminuídos: hipotireoidismo.
Valor de Referência 0,70 a 1,80 ng/dL
T4 - TIROXINA LIVRE - Curva
Nome do exame: T4 - TIROXINA LIVRE - Curva
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Jejum não necessário
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Uso: diagnóstico do hipertireoidismo e hipotireoidismo. O T4 livre corresponde a 0,02-0,04% do T4 total, estando precocemente elevado nas fases iniciais do hipertireoidismo, quando os níveis de T4 e T3 totais estão ainda dentro dos limites de normalidade. Valores aumentados: hipertireoidismo. Valores diminuídos: hipotireoidismo.
Valor de Referência 0,70 a 1,80 ng/dL
T4 - TIROXINA NEONATAL
Nome do exame: T4 - TIROXINA NEONATAL
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Coletar sangue total em papel filtro
Tipos de amostra papel filtro - sangue
Significado Clínico Uso: diagnóstico precoce do hipotireoidismo congênito. Doença causada pela produção deficiente dos hormônios da tireóide. Neste caso podem ocorrer deficiências físicas e mentais em graus variados.
Valor de Referência Superior a 6,0 ug/dL
TELOPEPTÍDEO - (CROSS-LINKS) - NTX
Nome do exame: TELOPEPTÍDEO - (CROSS-LINKS) - NTX
Indicação Médica do Exame: Uso: avaliação da velocidade de reabsorção nos processos osteoporóticos. Valores aumentados: reabsorção óssea acelerada, menopausa, hipertireoidismo, hiperparatireoidismo, doença de Paget. Valores diminuídos: controle pós-tratamento. Espera-se tipicamente decrescimo de 30 a 40% nos níveis de N-telopeptideo basal após 3 meses de terapia anti-reabsortiva na monitoração da terapia, os pacientes devem ser mantidos com níveis menores ou iguais a 35 nBCE/nmol creatinina.
Preparo do Paciente Coletar a 2ª urina da manha, coletar no mínimo 50,0 mL, enviar congelado . Estabilidade de 5 dias refrigerado (2 a 8º C) e até 4 semanas congelado (-20º C)
Tipos de amostra urina - 2ª urina da manhã
Significado Clínico O NTx é um excelente marcador de reabsorção óssea pelos osteoclastos liberando porções de colágeno na circulação que são excretadas na urina. Não apresenta variações com a dieta sendo o principal colágeno dos ossos, e uma queda superior a 30% na sua concentração basal indica bom resultado terapêutico.
Valor de Referência Mulheres
TEMPO DE ATIVIDADE DE PROTROMBINA
Nome do exame: TEMPO DE ATIVIDADE DE PROTROMBINA
Indicação Médica do Exame: Uso: controle terapêutico de anticoagulantes orais; avaliação da função hepática e desordens de coagulação. Devido às diferenças de sensibilidade das tromboplastinas obtidas em diferentes fontes, é recomendada uma padronização, utilizando-se uma tromboplastina de referência mundial (INR - International Normalization Ratio).
Preparo do Paciente Não é necessário jejum. Informar se o paciente faz uso de algum tipo de anticoagulante. Enviar o plasma já separado e refrigerado.
Tipos de amostra plasma citratado
Significado Clínico Os pacientes que utilizam anticoagulantes orais, em fase estável de anticoagulação, podem ser monitorados de um modo mais racional e seguro, utilizando este parâmetro.
Valor de Referência Atividade de protrombina: 70% a 100%
TEMPO DE COAGULAÇÃO
Nome do exame: TEMPO DE COAGULAÇÃO
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Paciente deve comparecer no laboratório para realização do teste.
Tipos de amostra sangue total sem anticoagulante
Significado Clínico Ver Tempo de Sangramento e Coagulação.
Valor de Referência 4 a 10 minutos
TEMPO DE SANGRAMENTO
Nome do exame: TEMPO DE SANGRAMENTO
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Paciente deve comparecer no laboratório para realização do teste.
Tipos de amostra sangue
Significado Clínico Ver Tempo de Sangramento e Coagulação.
Valor de Referência Até 5 minutos
TEMPO DE TROMBINA
Nome do exame: TEMPO DE TROMBINA
Indicação Médica do Exame: Uso: diagnóstico e monitoramento da coagulação intravascular disseminada (CIVD); controle de terapêutica heparínica e fibrinolítica.
Preparo do Paciente Colher com seringa plástica ou Vacutainer e separar o plasma logo após a coleta. Manter Congelado.
Tipos de amostra plasma citratado
Significado Clínico Valores aumentados (geralmente acima de 30 segundos): presença de heparina circulante, presença de produtos de degradação da fibrina, depleção de fibrinogênio, disfibrinogenemia, doenças hepáticas, paraproteínas.
Valor de Referência até 22 segundos
TEMPO DE TROMBOPLASTINA PARCIAL ATIVADO
Nome do exame: TEMPO DE TROMBOPLASTINA PARCIAL ATIVADO
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Não é necessário Jejum. Informar se o paciente faz uso de algum tipo de anticoagulante. Enviar o plasma separado e refrigerado.
Tipos de amostra plasma citratado
Significado Clínico Uso: monitoramento da terapia com heparina; triagem para defeitos da coagulação (via intrínseca). Isoladamente, é o melhor teste para detectar problemas na coagulação, obtendo resultados anormais em 90% dos casos. Valores aumentados: deficiências de um ou mais fatores (I - fibrinogênio, II - protrombina, V - fator lábil, VIII, IX, X, XI e XII).
Valor de Referência Ratio : 0,80 a 1,25
TEOFILINA
Nome do exame: TEOFILINA
Indicação Médica do Exame: Uso: avaliação da concentração sérica da teofilina (droga terapêutica). A teofilina é uma metilxantina, usada comumente no tratamento da asma e da doença pulmonar obstrutiva crônica. Seus efeitos tóxicos são encontrados em pacientes com náuseas, vômitos, taquicardia, arritmias e convulsões.
Preparo do Paciente Colher 2 horas após a dose oral de teofilina, ou conforme orientação médica. Se o exame não for realizado no mesmo dia, congelar a amostra
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Interferentes: eritromicina, fenobarbital, cimetidina, fumo, alopurinol, propanolol, anticoncepcionais orais.
Valor de Referência Niveis terapeuticos: 10,0 a 20,0 ug/mL
TESTE DE ABSORÇÃO DA D-XILOSE , plasma
Nome do exame: TESTE DE ABSORÇÃO DA D-XILOSE , plasma
Indicação Médica do Exame: Uso: avaliação diagnóstica de intolerância ao glúten, espru tropical, doença celíaca, insuficiência pancreática (valores normais), síndromes malabsortivas e função jejunal. A D-xilose, por sua estrutura monossacarídica pentamérica, é absorvida no duodeno e jejuno de forma diferente de outros monossacarídeos, não requerendo enzimas pancreáticas no processo. Após a ingestão de uma solução de d-xilose, são coletadas amostras de sangue ou urina num período de 5 horas para determinar a quantidade de xilose absorvida.
Preparo do Paciente Após jejum 8 horas, punção venosa com cateter e repouso de 20 minutos. Coletar amostra basal e administrar xilose via oral conforme a seguir ; Adultos: 25 g de D-xilose dissolvida em 250 mL de água. Crianças: 0,5 g de D-xilose/Kg de peso corpóreo até o máximo de 25 g. Coletar 4 mL de sangue fluoretado (plasma)Adulto :2 horas após ingestão da xilose Crianças 1 hora após a ingestão.
Tipos de amostra plasma fluoretado
Significado Clínico É esperado que em pessoas normais haja uma excreção urinária entre 16-25% da xilose administrada nas 5 horas de exame, ou 30-52 g/dL no sangue em duas horas. A absorção é diminuída em esteatorréia por má absorção do intestino delgado, giardíase, gastroenterites virais, verminoses ou idade avançada. É normal em esteatorréia pancreática, cirrose hepática, pós-gastrectomia e má nutrição. Alguns fatores podem estar associados a baixos resultados na prova sem, no entanto, haver distúrbio da absorção intestinal, como insuficiência renal, vômitos, hipomotilidade, estase intestinal, desidratação e uso de certos medicamentos.
Valor de Referência Criança
TESTE DE ABSORÇÃO DA LACTOSE
Nome do exame: TESTE DE ABSORÇÃO DA LACTOSE
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Após jejum 8 horas, punção venosa com cateter e repouso de 20 minutos. Coletar amostra basal e administrar Lactose conforme quantidades a seguir : Adulto: 50 g de lactose diluída em água . Criança: 2 g de lactose diluída em água e administrada oralmente/Kg de peso Máximo 50 g Coleta de sangue (tubos com fluoreto) para dosagens de glicose basal 15,30, 60 minutos após a ingestão de lactose. Dosar glicose.
Tipos de amostra plasma fluoretado
Significado Clínico Uso: estudo de deficiência enzimática intestinal (lactase), resultante de dano ou disfunção da mucosa em casos de deficiência idiopática, spru, doença celíaca e gastroenterite.
Valor de Referência Normal : elevação de 20 a 25 mg/dL na glicemia
TESTE DE ABSORÇÃO DA MALTOSE
Nome do exame: TESTE DE ABSORÇÃO DA MALTOSE
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Após jejum 8 horas, punção venosa com cateter e repouso de 20 minutos. Coletar amostra basal e administrar Maltose conforme quantidades a seguir : Adulto: 50 g de Maltose diluída em água . Criança: 2 g de Maltose diluída em água e administrada oralmente/Kg de peso .Coleta de sangue (tubos com fluoreto) para dosagens de glicose basal 15,30, 60 minutos após a ingestão de Maltose. Dosar glicose.
Tipos de amostra plasma fluoretado
Significado Clínico Uso: estudo de deficiência enzimática intestinal , resultante de dano ou disfunção da mucosa em casos de deficiência idiopática, spru, doença celíaca e gastroenterite.
Valor de Referência Normal : elevação de 20 a 25 mg/dl na glicemia
TESTE DE ABSORÇÃO DA SACAROSE
Nome do exame: TESTE DE ABSORÇÃO DA SACAROSE
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Após jejum 8 horas, punção venosa com cateter e repouso de 20 minutos. Coletar amostra basal e administrar sacarose via oral conforme quantidades a seguir: 2g/kg de peso corporal, com dose máxima de 50g. Coletar amostras nos tempos 15, 30, 60 e 90 minutos após a ingestão de sacarose. Dosar glicose
Tipos de amostra plasma fluoretado
Significado Clínico Uso: estudo de deficiência enzimática intestinal
Valor de Referência Normal : elevação de 20 a 25 mg/dl na glicemia
TESTE DE ESTIMULO DE 17 OH PROGESTERONA APÓS ACTH
Nome do exame: TESTE DE ESTIMULO DE 17 OH PROGESTERONA APÓS ACTH
Indicação Médica do Exame: Uso: diagnóstico da Hiperplasia Adrenal Congênita, deficiência da 21 - hidroxilase, diagnóstico de hirsutismo e infertilidade feminina; monitoramento terapêutico. A 17 - alfa - hidroxiprogesterona (17-OHP) é um esteróide intermediário na biossíntese do cortisol. O termo hiperplasia adrenal congênita é utilizado para definir uma síndrome que reúne erros inatos do metabolismo esteróide. São desordens geneticamente determinadas na produção dos esteróides adrenocorticais, como resultado de deficiências enzimáticas específicas. Estima-se que mais de 90% dos casos desta patologia sejam devidos à deficiência de 21 - hidroxilase, resultado de mutações hereditárias dos genes da 21 - hidroxilase B, situados próximos ao complexo HLA.
Preparo do Paciente Após jejum 8 horas, punção venosa com cateter e repouso de 20 minutos. Coletar amostra basal para dosagem basal de 17 hidroxiprogesterona. Administrar via endovenosa Cortrosina (250 ug). Coletar amostras de sangue nos tempos 30 e 60 minutos. Dosar 17 hidroxiprogesterona
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Os casos podem ser classificados em formas clássicas e não-clássicas. Nas formas clássicas, o diagnóstico é facilitado pela presença de níveis extremamente elevados de 17 - alfa - hidroxiprogesterona, enquanto que nas não-clássicas, esta alteração pode ser leve, borderline ou mesmo inexistente. Nestes casos, geralmente subclínicos, persistindo a suspeita clínica, é recomendado a realização do teste dinâmico de estimulação com ACTH exógeno. A resposta normal é o de aumento até 20-25 ng/mL 60 minutos após a administração do ACTH, enquanto que em indivíduos com deficiência de 21 - hidroxilase os níveis de resposta são muito superiores.
Valor de Referência Raramente excede 20,0 ng/mL
TESTE DE ESTIMULO DE GLICOSE APÓS INSULINA
Nome do exame: TESTE DE ESTIMULO DE GLICOSE APÓS INSULINA
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Jejum obrigatório. Nos 3 dias que antecedem a prova, fazer dieta rica em carboidratos e não ingerir álcool na véspera. Corticosteróides e estresse podem atuar como interferentes.
Tipos de amostra plasma fluoretado
Significado Clínico Ver Curva Glicêmica (Prolongada - 0 a 300 minutos).
Valor de Referência Hipoglicemia aos 30 minutos
TESTE DE ESTIMULO RENINA/ALDOSTERONA
Nome do exame: TESTE DE ESTIMULO RENINA/ALDOSTERONA
Indicação Médica do Exame: Uso: diagnóstico diferencial da hipertensão arterial; diferenciação entre aldosteronismo primário e secundário; monitoramento da terapia com mineralocorticóides; seguimento de portadores de defeito da 21-hidroxilase em tratamento.
Preparo do Paciente Jejum de 12 horas - primeira coleta as 9 horas (o paciente deverá vir ao Laboratório as 8 horas ) Manter o paciente em repouso com veia cateterizada durante 60 minutos antes a coleta. Colher amostra basal para dosar Renina e Aldosterona. Solicitar que o paciente ande (deambule) por 4 horas e coletar novamente material para as dosagens de Renina e Aldosterona.
Tipos de amostra soro + plasma com EDTA
Significado Clínico Valores diminuídos: hiperaldosteronismo primário. Valores aumentados: hipertensão renovascular
Valor de Referência Renina Em pé : 4,4 a 46,1 uUI/mL
TESTE DE ESTÍMULO DE ACTH APÓS INSULINA
Nome do exame: TESTE DE ESTÍMULO DE ACTH APÓS INSULINA
Indicação Médica do Exame: Uso: diagnóstico diferencial da síndrome de Cushing, síndrome do ACTH ectópico (ex. carcinoma de pulmão, tumor de ilhotas pancreáticas, tumores carcinóides, carcinoma medular de tireóide), doença de Addison, hipopituitarismo e tumores pituitários produtores de ACTH (ex. síndrome de Nelson); avaliação de função adrenal. Valores aumentados: doença de Addison, tumores produtores de ACT, stress, síndrome de Cushing hipofisária. Valores diminuídos: adenoma de glândulas supra-renais, carcinoma de células supra renais.
Preparo do Paciente Após jejum de oito horas, punção venosa com cateter e repouso de 20 minutos. Coleta da amostra basal para dosar Cortisol e ACTH. Administrar via endovenosa 0,10 UI/Kg de Insulina Regular. Coletar amostras de sangue nos tempos 15, 30, 45, 60, 90 e 120 minutos e dosar CORTISOL . Dosar ACTH e GLICOSE nos tempos 30, 60, 90 e 120. Enviar as amostras de plasma com EDTA congelada. Obs: Manter soro glicosado a 50% para infusão venosa lenta, caso a dosagem de glicose for inferior a 25 mg/dL
Tipos de amostra plasma com EDTA
Significado Clínico Interferentes: corticosteróides, estrogênios, espironolactona, anfetaminas, álcool, lítio, gravidez, fase do ciclo menstrual, atividade física
Valor de Referência Basal : 0,0 a 46,0 pg/mL
TESTE DE ESTÍMULO DE GASTRINA APÓS SECRETINA
Nome do exame: TESTE DE ESTÍMULO DE GASTRINA APÓS SECRETINA
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Após jejum 8 horas, punção venosa com cateter e repouso de 20 minutos. Coletar amostra basal e dosar Gastrina. Administrar secretina , 1 a 2 U/kg de peso. Coletar as amostras de sangue nos tempos 2, 5, 10, 15, 20, 25 e 30 minutos . Dosar Gastrina em todas as amostras.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Uso: diagnóstico de gastrinoma
Valor de Referência Não detectavel a 90,0 pg/mL
TESTE DE ESTÍMULO DE PEPTÍDEO C APÓS GLUCAGON
Nome do exame: TESTE DE ESTÍMULO DE PEPTÍDEO C APÓS GLUCAGON
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Após jejum 8 horas, punção venosa com cateter e repouso de 20 minutos. Coletar amostra basal. Administrar Glucagon 1 mg via endovenosa . Coletar amostra após 6 minutos. Dosar Peptídeo C nas duas amostras.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Uso: Avaliação da reserva pancreática (função da célula beta).
Valor de Referência 0,9 a 4,0 ng/mL
TESTE DE ESTÍMULO DE PROLACTINA APÓS AMPLICTIL
Nome do exame: TESTE DE ESTÍMULO DE PROLACTINA APÓS AMPLICTIL
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Após jejum de oito horas, punção venosa com cateter e repouso de 20 minutos. Coletar da amostra basal. Administrar via oral bromoergocriptina ( PARLODEL - dose de 2,5 mg) .Coletar amostras de sangue nos tempos 60,120,180,240 e 360 minutos. Dosar Prolactina em todas as amostras.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Uso: Avaliação da reserva de prolactina e hiperprolactinemia .Útil no diagnóstico de prolactinomas e desordes hipotalâmicas
Valor de Referência Aumento de 2 a 4 vezes o valor basal.
TESTE DE ESTÍMULO DE PROLACTINA APÓS PLASIL
Nome do exame: TESTE DE ESTÍMULO DE PROLACTINA APÓS PLASIL
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Após jejum de oito horas, punção venosa com cateter e repouso de 20 minutos. Coleta da amostra basal. Administrar 1 ampola de plasil 10 mg endovenosa. Coletar amostras de sangue nos tempos 30, 60 e 120 minutos. Dosar Prolactina em todas as amostras.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Uso: Avaliação da reserva de prolactina e hiperprolactinemia. Útil no diagnóstico de prolactinomas e desordes hipotalâmicas Resposta normal: aumento 3 vezes os níveis basais ou maior que 20 ng/mL.
Valor de Referência Aumento de 50 ng/mL sobre o basal aos 60 minutos.
TESTE DE ESTÍMULO DE PROLACTINA APÓS TRH
Nome do exame: TESTE DE ESTÍMULO DE PROLACTINA APÓS TRH
Indicação Médica do Exame: Uso: avaliação das reservas de TSH e prolactina; avaliação da supressão do TSH por hormônios tireoidianos; confirmação de hipertireoidismo endógeno; monitoramento da terapêutica de supressão hormonal. O TRH é um hormônio liberador de tirotropina sintético, com potente atividade estimuladora da liberação de prolactina e TSH. O principal uso deste teste é a avaliação de pacientes com suspeita de insuficiência pituitária, freqüentemente combinada com teste de liberação de gonadotropinas.
Preparo do Paciente Após jejum de 4 - 8 horas, punção venosa com cateter e repouso de 20 minutos. Coletar amostra basal. Administrar TRH ( 200 ug) via endovenosa( infusão em 30 segundos). Coletar amostras de sangue nos tempos 15, 30, 45 e 60 minutos. Dosar Prolactina em todas as amostras
Tipos de amostra SORO
Significado Clínico Em indivíduos normais, o TSH plasmático sobe rapidamente após a administração de TRH. Em pacientes com tirotoxicose, hipotireoidismo secundário ou insuficiência pituitária primária, há resposta reduzida devido à supressão do feedback da via pituitária. Os níveis de prolactina normalmente devem subir de 2 a 3 vezes o valor basal. Respostas de TSH insuficientes também podem ocorrer em doenças como depressão, síndrome de Cushing, acromegalia e uso de medicamentos.
Valor de Referência Resposta normal: pico maior que 20 ng/mL e valores
TESTE DE ESTÍMULO DE TESTOSTERONA APÓS CORTROSINA
Nome do exame: TESTE DE ESTÍMULO DE TESTOSTERONA APÓS CORTROSINA
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Após jejum de 12 horas, manter o paciente em repouso durante 30 minutos e colher a primeira amostra de sangue (basal). Injetar EV TRH (Hormonio Tireo Estimulante) - 200 microgramas e colher as amostras de sangue nos tempos 15,30,60 e 120 minutos.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico .
Valor de Referência A PHP Error was encountered
TESTE DE ESTÍMULO DE TESTOSTERONA APÓS HCG
Nome do exame: TESTE DE ESTÍMULO DE TESTOSTERONA APÓS HCG
Indicação Médica do Exame: Uso: Avaliação funcional das células de Leydig testiculares; diagnóstico de hipogonadismo hipogonadotrófico.
Preparo do Paciente Após jejum de oito horas, punção venosa com cateter e repouso de 20 minutos. Coletar a amostra basal para dosagem de Testosterona. Administrar via intramuscular 1500 UI de HCG (pregnyl) . Coleta da amostra após 72 horas.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Os portadores de doença gonadal primária apresentam uma resposta diminuída e os portadores de insuficiência gonadal secundária ou hipotalâmica tem resposta normal.
Valor de Referência Adulto : aumento de 2 vezes o valor basal
TESTE DE ESTÍMULO DO FSH APÓS LHRH
Nome do exame: TESTE DE ESTÍMULO DO FSH APÓS LHRH
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Não é necessário jejum. Coletar amostra basal. Administrar via endovenosa 100 ug de Gn RH (HRF/GONADORELINA). Coletar amostras de soro nos tempos 15,30, 45 e 60 minutos. Dosar FSH (5 FSH) em todos os tempos. Durante o teste o paciente não pode fumar, andar, comer e beber.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Uso: avaliação da reserva gonadotrófica em indivíduos com retardo puberal ou hipogonadismo.
Valor de Referência Resposta normal
TESTE DE ESTÍMULO DO GH APÓS EXERCÍCIO
Nome do exame: TESTE DE ESTÍMULO DO GH APÓS EXERCÍCIO
Indicação Médica do Exame: Uso: Suspeita de deficiência de GH. Avaliação da baixa estatura. O teste é considerado normal, quando o GH for maior que 10 ng/mL em qualquer tempo da curva.
Preparo do Paciente Após jejum de oito horas, punção venosa com cateter e repouso de 20 minutos. Coletar a amostra basal. Exercício em esteira até atingir freqüência cardíaca de 160 a 180 BPM (aproximadamente 20 minutos). Coletar amostra de soro 20 e 40 minutos após exercício ou choro intenso. Dosar GH em todas as amostras.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico São considerados pacientes com deficiência de GH, aqueles que apresentarem no mínimo dois testes de estímulos diferentes, com picos inferiores a 10 ng/mL
Valor de Referência Aumento dos niveis de HGH de, pelo
TESTE DE ESTÍMULO DO GH COM ARGININA
Nome do exame: TESTE DE ESTÍMULO DO GH COM ARGININA
Indicação Médica do Exame: Uso: Suspeita de deficiência de GH. Avaliação da baixa estatura. O teste é considerado normal, quando o GH for maior que 10 ng/mL em qualquer tempo da curva.
Preparo do Paciente Após jejum de oito horas, punção venosa com cateter e repouso de 20 minutos. Coletar a amostra basal. Administrar lentamente (30 minutos) arginina (Monocloridrato de L arginina a 10%) endovenosa, 0,5 g/kg de peso (não ultrapassar 30g). Coletar amostras de soro nos tempos 30, 60, 90 e 120 minutos. Dosar GH em todas as amostras.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico São considerados pacientes com deficiência de GH, aqueles que apresentarem no mínimo dois testes de estímulos diferentes, com picos inferiores a 10 ng/mL
Valor de Referência No tempo 90 observa-se resposta de no minimo
TESTE DE ESTÍMULO DO GH COM CLONIDINA
Nome do exame: TESTE DE ESTÍMULO DO GH COM CLONIDINA
Indicação Médica do Exame: Uso: Suspeita de deficiência de GH. Avaliação da baixa estatura. O teste é considerado normal, quando o GH for maior que 10 ng/mL em qualquer tempo da curva.
Preparo do Paciente Após jejum de oito horas, punção venosa com cateter e repouso de 20 minutos. Coletar a amostra basal. Administrar Clonidina via oral 0,1 mg/m2. Coletar amostras de soro nos tempos 30, 60, 90 e 120 minutos. Dosar GH em todas as amostras. Cálculo para dosagem do medicamento :Superficie corporal=((Peso x 4)+7)/(Altura +90) . Comprimido de Clonidina 0,100 mg(1 comp.) para cada 1,0 m2 de superfície corporal.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico São considerados pacientes com deficiência de GH, aqueles que apresentarem no mínimo dois testes de estímulos diferentes, com picos inferiores a 10 ng/mL
Valor de Referência No tempo 90 observa-se resposta de no minimo
TESTE DE ESTÍMULO DO GH COM INSULINA
Nome do exame: TESTE DE ESTÍMULO DO GH COM INSULINA
Indicação Médica do Exame: Uso: Suspeita de deficiência de GH. Avaliação da baixa estatura. O teste é considerado normal, quando o GH for maior que 10 ng/mL em qualquer tempo da curva.
Preparo do Paciente Após jejum de oito horas, punção venosa com cateter e repouso de 20 minutos. Coletar a amostra basal. Administrar insulina regular via endovenosa 0,10 UI/Kg de peso corporal. Coletar amostras de soro e plasma fluoretado nos tempos 15, 30, 45, 60, 90 e 120 minutos. Dosar GH e glicose em todas as amostras. Obs: Manter soro glicosado a 50% para infusão venosa lenta, caso a dosagem de glicose for inferior a 25 mg/dL
Tipos de amostra soro
Significado Clínico São considerados pacientes com deficiência de GH, aqueles que apresentarem no mínimo dois testes de estímulos diferentes, com picos inferiores a 10 ng/mL A prova somente será considerada válida se os níveis de glicose após insulina reduzirem a pelo menos 50% do valor basal ou se a glicose for <40,0 mg/dL
Valor de Referência No tempo 90 observa-se resposta de no minimo
TESTE DE ESTÍMULO DO GH COM PROPANOLOL
Nome do exame: TESTE DE ESTÍMULO DO GH COM PROPANOLOL
Indicação Médica do Exame: Uso: Suspeita de deficiência de GH. Avaliação da baixa estatura. O teste é considerado normal, quando o GH for maior que 10 ng/mL em qualquer tempo da curva.
Preparo do Paciente Após jejum de oito horas, punção venosa com cateter e repouso de 20 minutos. Coletar a amostra basal. Administrar via oral - 40 mg ( > 25 kg) 20 mg (< 25 kg) de propanolol. Coletar amostras de soro nos tempos 60, 90, 120 e 180 minutos. Dosar GH em todas as amostras.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico São considerados pacientes com deficiência de GH, aqueles que apresentarem no mínimo dois testes de estímulos diferentes, com picos inferiores a 10 ng/mL
Valor de Referência Aumentos de GH de pelo menos 7 ng/mL aos 90 min.
TESTE DE ESTÍMULO DO GH COM TRH
Nome do exame: TESTE DE ESTÍMULO DO GH COM TRH
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Após jejum de oito horas, punção venosa com cateter e repouso de 20 minutos. Coletar a amostra basal. Administrar via endovenosa TRH (200 ug) e coletar amostras no tempos 15, 30 e 60 minutos. Dosar GH em todas as amostras.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Uso: No acompanhamento de tratamento da acromegalia.Teste coadjuvante no acompanhamento da resposta ao tratamento.
Valor de Referência No tempo 90 observa-se resposta de no minimo
TESTE DE ESTÍMULO DO LH APÓS LHRH
Nome do exame: TESTE DE ESTÍMULO DO LH APÓS LHRH
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Não é necessário jejum. Coletar amostra basal. Administrar via endovenosa 100 ug de Gn RH (HRF/GONADORELINA). Coletar amostras de soro nos tempos 15, 30, 45 e 60 minutos. Dosar LH nos tempos coletados. Durante o teste o paciente não pode fumar, andar, comer e beber
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Uso: avaliação da reserva gonadotrófica em indivíduos com retardo puberal ou hipogonadismo.
Valor de Referência Resposta normal
TESTE DE ESTÍMULO DO LH E FSH APÓS LHRH
Nome do exame: TESTE DE ESTÍMULO DO LH E FSH APÓS LHRH
Indicação Médica do Exame: Uso: investigação da integridade do eixo gonadal - pituitário. A gonadorelina (LH-RH) é um decapeptídeo que causa a liberação de LH e FSH da pituitária. Neste teste, ambas as gonadotropinas deverão apresentar um incremento de pelo menos duas vezes o valor da amostra basal.
Preparo do Paciente Não é necessário jejum. Coletar amostra basal. Administrar via endovenosa 100 ug de Gn RH (HRF/GONADORELINA). Coletar amostras de soro nos tempos 15, 30, 45 e 60 minutos. Dosar LH e FSH (5 LH e 5 FSH) em todas as amostras. Durante o teste o paciente não pode fumar, andar, comer e beber.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Ocorre, portanto, uma avaliação da capacidade da pituitária em responder a um estímulo. A maioria das mulheres normais responde com aumentos de 2-5 vezes o valor basal. A resposta máxima do LH usualmente antecede a do FSH. Respostas fracas podem ser encontradas em doença hipotalâmica, hipopituitarismo, hipogonadismo hipogonadotrófico e pacientes anoréxicos. Respostas exageradas podem ser vistas em alguns casos de síndrome do ovário policístico.
Valor de Referência Resposta normal
TESTE DE ESTÍMULO DO TSH APÓS TRH
Nome do exame: TESTE DE ESTÍMULO DO TSH APÓS TRH
Indicação Médica do Exame: Uso: avaliação das reservas de TSH e prolactina; avaliação da supressão do TSH por hormônios tireoidianos; confirmação de hipertireoidismo endógeno; monitoramento da terapêutica de supressão hormonal. O TRH é um hormônio liberador de tirotropina sintético, com potente atividade estimuladora da liberação de prolactina e TSH. O principal uso deste teste é a avaliação de pacientes com suspeita de insuficiência pituitária, freqüentemente combinada com teste de liberação de gonadotropinas.
Preparo do Paciente Após jejum de oito horas, punção venosa com cateter e coletar amostra basal. Administrar TRH ( 200 ug) via endovenosa . Coletar amostras de soro nos tempos basal,15, 30 e 60 minutos. Dosar TSH em todas as amostras.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Em indivíduos normais, o TSH plasmático sobe rapidamente após a administração de TRH. Em pacientes com tirotoxicose, hipotireoidismo secundário ou insuficiência pituitária primária, há resposta reduzida devido à supressão do feedback da via pituitária. Os níveis de prolactina normalmente devem subir de 2 a 3 vezes o valor basal. Respostas de TSH insuficientes também podem ocorrer em doenças como depressão, síndrome de Cushing, acromegalia e uso de medicamentos
Valor de Referência Resposta normal: aumento de 10 vezes o valor basal
TESTE DE GRAVIDEZ - TIG
Nome do exame: TESTE DE GRAVIDEZ - TIG
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Urina amostra isolada
Tipos de amostra urina - amostra isolada
Significado Clínico Uso: diagnóstico de gravidez.
Valor de Referência Positivo : sugestivo de gravidez
TESTE DE LIBERAÇÃO DE CORTISOL APÓS CORTROSINA
Nome do exame: TESTE DE LIBERAÇÃO DE CORTISOL APÓS CORTROSINA
Indicação Médica do Exame: Uso: determinação da resposta adrenal ao ACTH; diagnóstico diferencial de insuficiência adrenal. Este teste, ao utilizar uma forma sintética de ACTH de ação rápida, causa um aumento súbito na concentração do cortisol sérico. Em pacientes com insuficiência adrenal, não existem mudanças na concentração do cortisol.
Preparo do Paciente Após jejum de oito horas, punção venosa com cateter e repouso de 20 minutos. Coleta da amostra basal para dosar Cortisol . Administrar via endovenosa uma ampola de cortrosina simples (ACTH sintético 0,25 mg). Coletar amostras de soro nos tempos 30, 60 e 90 minutos . Dosar cortisol em todos os tempos
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Pacientes com causas secundárias de insuficiência adrenal apresentam mudanças pequenas na cortisolemia, devendo ser investigados com outros protocolos. Na doença de Addison, os valores não apresentam alterações (resposta normal ao teste exclui insuficiência adrenal primária), enquanto que em hiperplasia adrenal congênita, os níveis de cortisol sobem 4-6 vezes o valor basal.
Valor de Referência Normal: o pico de cortisol excede 30,0 ug/dL em
TESTE DE MISTURA PARA TTPA PROLONGADO
Nome do exame: TESTE DE MISTURA PARA TTPA PROLONGADO
Indicação Médica do Exame: Uso: controle terapêutico de anticoagulantes orais; avaliação da função hepática e desordens de coagulação. Devido às diferenças de sensibilidade das tromboplastinas obtidas em diferentes fontes, é recomendada uma padronização, utilizando-se uma tromboplastina de referência mundial (INR - International Normalization Ratio).
Preparo do Paciente Não é necessário jejum. Informar se o paciente faz uso de algum tipo de anticoagulante. Coletar plasma citratado
Tipos de amostra plasma citratado
Significado Clínico Os pacientes que utilizam anticoagulantes orais, em fase estável de anticoagulação, podem ser monitorados de um modo mais racional e seguro, utilizando este parâmetro
Valor de Referência O esperado é apresentar uma correção para o valor
TESTE DE PATERNIDADE DUO [FILHO (A) E SUP. PAI (OU MÃE)]
Nome do exame: TESTE DE PATERNIDADE DUO [FILHO (A) E SUP. PAI (OU MÃE)]
Indicação Médica do Exame: Interpretação: O Laboratório Alvaro emprega em suas análises o DNA genômico extraído de leucócitos presentes no sangue dos examinandos (Suposto Pai, Mãe e Filho (a)). Para cada indivíduo determina-se os seus dois alelos de cada um dos treze locos em estudo. Na identificação de cada loco de microssatélite utiliza-se a tecnologia da PCR (Polymerase Chain Reaction, Reação em Cadeia pela Polimerase) que amplifica os locos e promove a marcação destes utilizando-se oligonucleotídeos marcados com grupos fluorescentes de quatro cores diferentes.
Preparo do Paciente Coletar sangue total com EDTA de todas as partes participantes do teste. Caso a mãe tenha menos que 18 anos encaminhar com o material uma declaração do responsávle por ela. Quando o filho não for registrado em nome do suposto pai, é necessário uma declaração do responsável legal. Quando o filho não tiver registro deve ser encaminhado a declaração de nascido vivo.
Tipos de amostra sangue total com EDTA
Significado Clínico Os alelos amplificados e marcados são analisados em sequenciador automático ABI-PRISM Genetic Analizer (sistema validado pelo TWGDAM) e seus tamanhos em pares de bases (bp) são determinados por meio de comparação com padrões previamente obtidos de DNA de comprimento conhecido. Posteriormente todos os dados são calculados estatisticamente com base em tabelas de freqüências alélicas determinadas experimentalmente numa amostra representativa da população. Nos casos de inclusão de paternidade alcança-se uma certeza maior do que 99,99% e nos casos de exclusão de paternidade a certeza é de 100%.
Valor de Referência A PHP Error was encountered
TESTE DE SUPRESSÃO DA PROLACTINA APÓS L-DOPA
Nome do exame: TESTE DE SUPRESSÃO DA PROLACTINA APÓS L-DOPA
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Após jejum de no mínimo 8 horas, manter o paciente em repouso 30 minutos e colher amostra de sangue (basal). Administrar L-Dopa 10 mg/kg de peso, via oral, colher amostra a cada hora durante 6 horas
Tipos de amostra soro
Significado Clínico .
Valor de Referência Redução de 50% sobre o nível basal de prolactina
TESTE DE SUPRESSÃO DO CORTISOL APÓS DEXAMETASONA
Nome do exame: TESTE DE SUPRESSÃO DO CORTISOL APÓS DEXAMETASONA
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Administrar 1,0 mg de Dexametazona às 23 horas e dosar o cortisol as 8:00 horas do dia seguinte.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Uso: determinação da resposta adrenal ao ACTH; diagnóstico diferencial de insuficiência adrenal
Valor de Referência O cortisol após dexametasona deverá estar abaixo
TESTE DE SUPRESSÃO DO GH COM GLICOSE
Nome do exame: TESTE DE SUPRESSÃO DO GH COM GLICOSE
Indicação Médica do Exame: Uso: avaliação de casos com suspeita de hipersecreção autônoma de HGH. Até 10% dos indivíduos com excesso de HGH (acromegalia) apresentam valores basais de GH dentro dos parâmetros da normalidade. O excesso de GH pode ser estabelecido medindo-se a resposta de HGH após resposta de sobrecarga de glicose.
Preparo do Paciente Após jejum de 12 horas, punção venosa com cateter e repouso de 20 minutos. Coletar a amostra basal. Administrar via oral 75 g de glicose a 25% em adultos ou 1,75 g/kg de peso em crianças. Coletar amostras de soro nos tempos 30, 60, 90 e120 minutos. Dosar GH em todas as amostras.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico Os níveis de HGH devem baixar até cerca de 2,0 ng/mL após esta supressão com carga de glicose. A incapacidade de supressão é geralmente observada em pacientes com acromegalia, embora resultados alterados também possam ser vistos em doença hepática, doença renal crônica, diabetes mellitus não controlada, desnutrição, síndrome de Laron, tirotoxicose ou ingestão de L-dopa.
Valor de Referência Normal : queda dos niveis de HGH
TESTE DE SUPRESSÃO DO TSH APÓS L-TIROXINA
Nome do exame: TESTE DE SUPRESSÃO DO TSH APÓS L-TIROXINA
Indicação Médica do Exame: Uso: avaliação das reservas de TSH e prolactina; avaliação da supressão do TSH por hormônios tireoidianos; confirmação de hipertireoidismo endógeno; monitoramento da terapêutica de supressão hormonal. O TRH é um hormônio liberador de tirotropina sintético, com potente atividade estimuladora da liberação de prolactina e TSH.
Preparo do Paciente Após jejum de oito horas, punção venosa com cateter e coletar amostra basal. Administrar levotiroxina (3 mg) via oral. Coletar amostra se sangue após 7 dias para dosagem de TSH.
Tipos de amostra soro
Significado Clínico O principal uso deste teste é a avaliação de pacientes com suspeita de insuficiência pituitária, freqüentemente combinada com teste de liberação de gonadotropinas. Em indivíduos normais, o TSH plasmático sobe rapidamente após a administração de TRH. Em pacientes com tirotoxicose, hipotireoidismo secundário ou insuficiência pituitária primária, há resposta reduzida devido à supressão do feedback da via pituitária. Os níveis de prolactina normalmente devem subir de 2 a 3 vezes o valor basal. Respostas de TSH insuficientes também podem ocorrer em doenças como depressão, síndrome de Cushing, acromegalia e uso de medicamentos.
Valor de Referência A PHP Error was encountered
TESTE DE TOLERÂNCIA A GLICOSE
Nome do exame: TESTE DE TOLERÂNCIA A GLICOSE
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Após jejum de oito horas, punção venosa com cateter e repouso de 20 minutos. Coletar a amostra basal para dosagem de glicose. Administrar via oral 75 gramas de glicose para adultos e 1,75 g/Kg de peso para crianças (máximo de 75 g). Colher amostra após 120 minutos da ingestão de glicose. Para gestantes colher nos tempos 0 (basal), 60 e 120 minutos. OBS : quando a glicemia de jejum for superior ou igual a 126 mg/dL o teste é dispensável. Se em pelo menos duas ocasiões já apresentaram estes resultados, indica diagnóstico de diabetes A amostra deverá ser plasma fluoretado.
Tipos de amostra plasma fluoretado
Significado Clínico Normal : Diagnóstico de diabetes mellitus
Valor de Referência Glicemia basal entre 75 e 110 mg/dL, glicemia
TESTE DO PEZINHO - BASICO
Nome do exame: TESTE DO PEZINHO - BASICO
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Colher do pezinho uma gota de sangue em papel filtro vazada nos dois lados do papel. Deixar secar e envolver em papel alumínio. Recomendações : * Coletar a amostra do calcanhar (conforme os procedimentos de coleta) preenchendo todos os círculos frente e verso; * Coletar somente em papel de filtro do tipo S&S 903; * Após a coleta deixar secar por aproximadamente duas horas à temperatura ambiente, envolver em papel laminado e enviar a amostra refrigerada ao laboratório.
Tipos de amostra papel filtro - sangue
Significado Clínico .
Valor de Referência Fenilalanina (PKU)
TESTE DO PEZINHO - MCAD
Nome do exame: TESTE DO PEZINHO - MCAD
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Colher do pezinho uma gota de sangue em papel filtro vazada nos dois lados do papel. Deixar secar e envolver em papel alumínio. Recomendações : * Coletar a amostra do calcanhar (conforme os procedimentos de coleta) preenchendo todos os círculos frente e verso; * Coletar somente em papel de filtro do tipo S&S 903; * Após a coleta deixar secar por aproximadamente duas horas à temperatura ambiente, envolver em papel laminado e enviar a amostra refrigerada ao laboratório.
Tipos de amostra papel filtro - sangue
Significado Clínico Exames realizados : Aminoacidopatias e Distúrbios do Ciclo da Uréia (dentre elas Tirosinemia e Doença do Xarope de Bordo) o Distúrbios das Acilcarnitinas (incluindo Distúrbios dos Ácidos Orgânicos e Oxidação dos Ácidos Graxos, entre eles o MCAD
Valor de Referência Normal
TESTE DO PEZINHO - PERFIL 0
Nome do exame: TESTE DO PEZINHO - PERFIL 0
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Colher do pezinho uma gota de sangue em papel filtro vazada nos dois lados do papel. Deixar secar e envolver em papel alumínio. Recomendações : * Coletar a amostra do calcanhar (conforme os procedimentos de coleta) preenchendo todos os círculos frente e verso; * Coletar somente em papel de filtro do tipo S&S 903; * Após a coleta deixar secar por aproximadamente duas horas à temperatura ambiente, envolver em papel laminado e enviar a amostra refrigerada ao laboratório
Tipos de amostra papel filtro - sangue
Significado Clínico .
Valor de Referência Fenilalanina - PKU : Menor que 3,5 mg/dL
TESTE DO PEZINHO - PERFIL 1
Nome do exame: TESTE DO PEZINHO - PERFIL 1
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Colher do pezinho uma gota de sangue em papel filtro vazada nos dois lados do papel. Deixar secar e envolver em papel alumínio. Recomendações : * Coletar a amostra do calcanhar (conforme os procedimentos de coleta) preenchendo todos os círculos frente e verso; * Coletar somente em papel de filtro do tipo S&S 903; * Após a coleta deixar secar por aproximadamente duas horas à temperatura ambiente, envolver em papel laminado e enviar a amostra refrigerada ao laboratório.
Tipos de amostra papel filtro - sangue
Significado Clínico .
Valor de Referência Fenilalanina - PKU : Menor que 3,5 mg/dL
TESTE DO PEZINHO - PERFIL 1+ Hb
Nome do exame: TESTE DO PEZINHO - PERFIL 1+ Hb
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Colher do pezinho uma gota de sangue em papel filtro vazada nos dois lados do papel. Deixar secar e envolver em papel alumínio. Recomendações : * Coletar a amostra do calcanhar (conforme os procedimentos de coleta) preenchendo todos os círculos frente e verso; * Coletar somente em papel de filtro do tipo S&S 903; * Após a coleta deixar secar por aproximadamente duas horas à temperatura ambiente, envolver em papel laminado e enviar a amostra refrigerada ao laboratório.
Tipos de amostra papel filtro - sangue
Significado Clínico .
Valor de Referência Cromatografia aminoacidos : Normal
TESTE DO PEZINHO - PERFIL 2
Nome do exame: TESTE DO PEZINHO - PERFIL 2
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Colher do pezinho uma gota de sangue em papel filtro vazada nos dois lados do papel. Deixar secar e envolver em papel alumínio. Recomendações : * Coletar a amostra do calcanhar (conforme os procedimentos de coleta) preenchendo todos os círculos frente e verso; * Coletar somente em papel de filtro do tipo S&S 903; * Após a coleta deixar secar por aproximadamente duas horas à temperatura ambiente, envolver em papel laminado e enviar a amostra refrigerada ao laboratório
Tipos de amostra papel filtro - sangue
Significado Clínico .
Valor de Referência Cromatografia aminoacidos : Normal
TESTE DO PEZINHO - PERFIL 2 + Hb
Nome do exame: TESTE DO PEZINHO - PERFIL 2 + Hb
Indicação Médica do Exame: .
Preparo do Paciente Colher do pezinho uma gota de sangue em papel filtro vazada nos dois lados do papel. Deixar secar e envolver em papel alumínio. Recomendações : * Coletar a amostra do calcanhar (conforme os procedimentos de coleta) preenchendo todos os círculos frente e verso; * Coletar somente em papel de filtro do tipo S&S 903; * Após a coleta deixar secar por aproximadamente duas horas à temperatura ambiente, envolver em papel laminado e enviar a amostra refrigerada ao laboratório.
Tipos de amostra papel filtro - sangue
Significado Clínico .
Valor de Referência Fenilalanina - PKU : Menor que 3,5 mg/dL


Primeira     Última